segunda-feira, novembro 21, 2005

A oeste nada de novo...

Fui passar este fim-de-semana ao lado do rio Alva (desculpa lá gordo ter logo escolhido esta data em que não podias ir!). Pensei em passar uns dias repousantes ao pé da lareira numa rústica casa de xisto. Descanso mais que merecido após ter recusado outra oferta de emprego...
Muito me enganei. Cheguei de noite e debaixo de um forte temporal, a temperatura exterior estava a rondar os 12 graus, o que me levou a pensar que estava frescote. Claro que estava enganado, pois frescote estava dentro de casa, lá fora parecia verão. Resolvemos ligar o aquecimento, mas a electricidade faltou assim como o tão desejado aquecimento. A compensar vieram as histerias de "isto foi um ladrão que cortou a electricidade".
Sábado começei a tarde a almoçar sem stress num restaurante local. Claro que tudo mudou com alguns telefonemas recebidos (Ana, Cannas, Gordo) e a possibilidade de um emprego numa vacaria. Abandonei Coja ainda com o almoço mal digerido e resolvi dirigir-me para Arganil. Terrinha agradável para passear um bocadito e tomar um café, pensei eu. Ora a tecnologia já chega a qualquer lado e por isso o café onde eu estava tinha sport tv. Tive de ver o Benfica a levar na boca do Braga e como se isso não bastasse, fui a ouvir a minha namorada o caminho todo a dizer que tinha gostado muito de ver o Benfica comigo (convém frisar que ela é do Sporting).
Cheguei a casa e descobri que a vacaria era da Yakuza. Eu e o gordo já estavamos a fazer dinheiro e ainda não tinhamos começado a trabalhar. Eis senão quando recebo outro telefonema de outra pessoa para trabalhar na mesma vacaria a dizer que a posição era só para um e que o gordo ia com os porcos. Cada vez mais a cena da Yakuza fazia sentido.
Domingo decidi não me preocupar com empregos e peguei no carro e fui em direcção a Carapinha (para quem não sabe fica ao lado de Covelo e depois de Gandaras de espariz). O centro da Carapinha não foi tudo aquilo que eu tinha antecipado.
Hoje comecei o dia no centro de emprego, numa reunião deprimente com mais 15 pessoas desempregadas (5 eram engenheiros mecânicos-Luis fica pela Dinamarca). Saí como entrei com a diferença de ter envelhecido três horas.
Hoje soube também que afinal não vai haver vaga nenhuma na vacaria. Ao que parece houve para lá uma remodelação qualquer (alguém deve ter dado com a língua nos dentes pela última vez). Depressa se passa de bestial a besta neste mundo.

2 Comments:

At terça-feira, novembro 22, 2005 7:22:00 da manhã, Blogger sara escreveu...

Miguel, näo desanimes e vem dar um saltinho a Coepnhaga para arejar as ideias.

 
At terça-feira, novembro 22, 2005 11:42:00 da manhã, Anonymous Inês escreveu...

Miudo... Estou a ver que as coisas podiam ter corrido melhor!!! Mas olha, se isto te faz sentir melhor, eu fui pró algarve no fds... Esteve um temporal horrível, choveu a cântaros e estive a noite de sábado sentada à lareira sem electricidade.... logo, não podia ler, ver TV ou seja o que fôr... E assim fiquei eu, imóvela a observar as brasas da lareira. Como vês, o meu FDS também foi interessante!!! Isto depois do stress de 6ª feira, em que acabei de imprimir o meu relatório às 5h da manhã e me levantei às 7h para estar na secretaria às 9h. Enfim... A vida não está fácil! Vivo na esperança de que venham melhores dias.

 

Enviar um comentário

<< Home